Adiamento das eleições não tem votos suficientes na Câmara, afirma Maia

Por Antonio Nogueira 28/06/2020 - 14:59 hs

Apesar de defender o adiamento das eleições municipais deste ano por conta da pandemia do novo coronavírus, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (25), que o projeto não tem apoio suficiente para ser aprovado na Câmara. Segundo Maia, prefeitos pressionam deputados a não alterarem a data. Para muitos dirigentes locais, adiar as eleições pode acabar por beneficiar a oposição, que vai ter mais tempo para se divulgar.

Na última terça-feira, uma Proposta de Emenda à Constituição foi aprovada no Senado, prevendo que o primeiro turno ocorra em 15 de novembro. Já o segundo turno, seria em 29 de novembro. A regra original, prevista na constituição, define a realização das votações em 4 de outubro e, se necessário um segundo turno, em 25 de outubro.

Para saber mais: Covid-19 pode adiar eleições municipais? Conheça as opções em discussão.

O adiamento em um mês atende à demanda de juristas de que a votação não seja deixada para o ano que vem, o que poderia ser considerado uma prorrogação de mandato, precedente que pode ser aproveitado por ocupantes de outros cargos.